terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Atendimento personalizado: via e-mail, skype, telefone e WhatsApp.

/ /







Atendo pessoas que ainda não conseguem ter um relacionamento duradouro, ainda não encontraram o parceiro de suas vidas.



Pessoas que estão num relacionamento conflituoso. Algumas me procuram já decididas pela separação e outras decididas a salvar seu relacionamento. Vejo pessoas desistindo da separação quando antes já estavam decididas por ela, e pessoas que optam por uma separação quando esta alternativa ainda não lhes parecia tão clara.



Pessoas que ainda estão ligadas ao sofrimento daquele momento ou ao ex-parceiro e por isso não conseguem levar a vida adiante.



Pessoas que querem reconquistar o (a) ex.




Para todos os casos, meus clientes compreendem que a vida vale a pena ser vivida em sua mais profunda intensidade. Que momentos simples e singelos são tão significativos quanto datas especiais, e que vale a pena investirmos nos nossos relacionamentos. Casais felizes fazem uma sociedade melhor.



Andreia Fargnoli: Especializada em relacionamentos.



Atendimentos  via e-mail, telefone e Skype e agora WhatsApp   para todos os países. 

Clientes de outros países: Transferências podem ser feitas por  Western Union.

Consulte valores no:

dicasderelacionamento@hotmail.com

Andreia Fargnoli




Participe da nossa página no Facebook: clique aqui


sexta-feira, 17 de março de 2017

Carta do futuro para quem sofre de amor hoje

/ /
Talvez você leia essas linhas com mau gosto. Afinal de contas, a primeira característica comum aos que sofrem de amor é a certeza de que nada faz passar a dor que estão sentindo. E eu não fui diferente.
Não é como se o sentimento fosse um buraco no seu peito, mas como se você fosse o próprio buraco, perdido em si mesmo.
Eu entendo. E pode se irritar e clicar no “del” que fica à sua direita, mas eu sorrio. Sorrio porque aqui, depois do tempo que passou, no seu futuro, eu sei que sofrer por amor é o que nos dá, mais do que nunca antes, a certeza de que estamos vivos. De que é possível sentir cada parte do nosso corpo, mesmo que seja porque a dor não cabe no peito e se espalha pelo pêlos, terminações nervosas e unhas. Tudo dói. Doer de amor é a certeza de viver. Viver para morrer de amor.
Mas a morte não vem. Não vem e o futuro vai te fazer perceber que ninguém morre de amor. Amor é uma doença que não tem complicações, não leva pra UTI, não amputa. Amor é doença que cura. Amor é o sofrimento mais genuíno que existe porque o motivo do amor é só o amor.
Eu sei, você quer ficar em casa. Porque amor é doença. Igual gripe. Você quer estar embaixo das cobertas, chorar, tomar sopas e chás quentinhos. E aqui está a primeira coisa que, daqui do futuro, vejo que deveria ter feito. Faça esse amor girar, coloque esse sentimento para criar. Escreva, leia, pinte, borde, pule, fotografe, cante, componha. Transforme o amor que você sente em arte.
O amor que se transforma em arte se torna eterno. E aí você não vai mais sentir medo de perder esse sofrimento. Sim, porque nós sofremos pelo fim do amor porque não queremos perder o sentimento para o tempo. Sofrer de amor não é querer que ele acabe. É querer que ele seja eterno.
Daqui, do futuro, eu sei que ninguém que te disser “ele não te merece” vai mexer em um só pingo desse amor. Também sei que aqueles que te dizem “vai passar” ou te chamam de tolo não te trazem consolo, mas raiva. Você automaticamente pensa que eles não sabem o que você está sentindo, não estão sofrendo como você, não viveram aquela paixão.
Querida, eu (que sou eu no seu futuro) te digo com todas as letras: não vai passar e não vai doer menos simplesmente porque você quer. Quando mais você se importa em esquecer, mais lembra. Deixe a vida, deixe rolar, deixe sofrer. O amor só para de doer quando acaba, seca, dói tudo que tinha pra doer.
É igual gripe, que a minha avó já dizia que só passava em sete dias. O remédio pode até dar a sensação de que passou, mas quando anoitece você sabe que ela ainda está ali. E deixa estar. Não tenha pressa pelo fim do amor. Ele vai passar na hora certa, mas não vai acabar nunca.
Hoje, do futuro, eu te digo: quem você amou não morre nunca. Mas surgem novos amores, cheios de realidade, cheios de vida, que te mostram que o que você pensou que era amor era só uma lembrança bonita, um apego pela primeira descoberta, uma certeza que você precisava naquele momento. O amor, menina, o amor não morre nunca. Ele metamorfoseia, transforma e te acompanha pra sempre.
Sofrer de amor é bonito. Dói, mas é bonito. Eu só cheguei aqui, longe de onde estive quando estava aí sofrendo de amor, porque sofri. Sofrer de amor é necessário, cresce, te faz tomar as rédeas da sua vida.
Então viva. Viva esse sofrimento, essa dor, esse amor. Esgote as suas lágrimas pela morte do amor, achando que um dia ela vai chegar.
Porque se hoje eu estivesse com a sua idade, sofreria mais. Me entregaria com todas as forças a essa dor de amor. Porque sofrer de amor nos dá a maior certeza das nossas vidas: a que estamos vivos.

domingo, 12 de março de 2017

Amar demais faz mal!

/ /

(Aos que não casaram, aos que vão casar, aos que acabaram de casar, aos que pensam em se separar, aos que acabaram de se separar, aos que pensam em voltar...)

É preciso amar de forma saudável, pois do contrário, colocamos em risco nosso bem estar emocional.
Quando alguém está amando de forma inadequada, existe sofrimento, aí é hora de refletir e ver o que pode ser feito.
Quando queremos “entender” tudo do outro; o colocamos em primeiro lugar, tentando tornar seu terapeuta, estamos amando demais!
Podemos transformar nossa forma de amar, numa relação saudável! Mas, para que isto aconteça é necessário que estejamos bem conosco, nos colocando num lugar especial na vida; para em seguida poder compartilhar este amor com alguém.
Amar demais é tão comum, principalmente para muitas mulheres, que às vezes até se acredita que é assim que funciona os relacionamentos íntimos; e assim que deve ser.
Amar demais é quando o parceiro é “inadequado”, desatencioso ou inacessível, e mesmo assim, não conseguimos deixá-lo; ele está em primeiro lugar, ele se torna o mais importante em nossa vida.
Amar demais, é viver num mundo de fantasias; não dando conta de enfrentar uma realidade do dia a dia, das dificuldades que o ser humano vive; das diferenças existentes entre duas pessoas.
No amor saudável, estão associados ao amor verdadeiro, os sentimentos de serenidade, segurança, devoção, compreensão, companheirismo, apoio mútuo e conforto.
A profundidade do amor pode ser medido pela confiança e respeito mútuos.
Entre duas pessoas que resolvem dividir o mesmo teto, tem que haver muito mais do que amor, e às vezes, nem necessita de um amor tão intenso.
Entre casais que se unem, visando a longevidade do matrimônio, tem que haver um pouco de silêncio, amigos, vida própria, um tempo para cada um.
É preciso saber se este amor faz bem, ou não; se não fizer bem, não é amor.
Portanto é necessário avaliarmos nossas relações de tempo em tempo; estando atento aos nossos sentimentos, onde com certeza nos levará a um resultado melhor, cheio de prazer e harmonia.

Vera Licia Menezes Logrado - PSICÓLOGA




segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Ele é agressivo, o que faço?

/ /

E os e-mails chegam o tempo todo, contando que o  namoro ia bem até que o humor dele se tornou frágil. Uma cara feia aqui, uma reclamação ali e, quando você menos espera, um palavrão. Ele te critica, espezinha, machuca. Numa briga, te segura pelo braço. Na outra, dá um empurrão. Cuidado: esse namoro pode estar ficando perigoso demais para você.
Há vários tipos de agressão, da psicológica à física. Muitas vezes recebo e-mails repetitivos dizendo assim:  "Toda vez que bebe, meu namorado fica agressivo. A última vez chegou a me empurrar e chutar", "estou ficando com medo. Não sei como agir, eu amo ele demais, mas tá difícil". 
Diante de uma situação como essa, a mulher não tem que pensar duas vezes e procurar ajuda. "Foi para isso que a Delegacia da Mulher foi criada: para proteger mulheres que ficam com medo e continuam o relacionamento com homens violentos". Mantenha distância desse tipo de relacionamento. "Você deve se amar muito mais que a qualquer pessoa. Tenha amor próprio e saia dessa.
É importante reagir logo na primeira vez em que o parceiro se comportar de forma inadequada. 
O homem a agride pela primeira vez e a mulher não faz nada. O homem para de trabalhar, deita no sofá e pede uma cerveja e ela não reage. Pronto. Começa a vida dura. 
Lembrando que a mulher sofre e tem medo de nunca encontrar um novo amor por se sentir inferior ou por conta das ameaças do atual namorado. "Amar não é aceitar tudo calada. Amar é ser amada e resolver problemas juntos".
SE CUIDA E PROCURE AJUDA O QUANTO ANTES

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Amor próprio

/ /

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Como reconhecer um relacionamento abusivo

/ /



Você está envolvido em um relacionamento estranho e destrutivo? Seus velhos amigos estão se distanciando ao mesmo tempo que parentes dizem que você parece não gostar de si mesmo? Antes de obter novamente a individualidade e força, é necessário determinar se o relacionamento está realmente tirando algo de você; caso a resposta seja positiva, é necessário colocar um ponto final a esse ciclo de destruição.

Verifique se algum dos sinais de abuso ou manipulação estão presentes. Leia os tópicos abaixo e responda honestamente, sem justificar o comportamento do parceiro – não diga “ele nem sempre é assim” ou “só aconteceu uma ou duas vezes” –, pois se isso já ocorreu, é um problema grave. Basta responder “sim” ou “não”; mesmo três ou quatro respostas positivas significam que é hora de ir procurar outra pessoa, que trate você com o respeito que merece. Seu parceiro::
  • Zomba ou constrange você na frente dos amigos e da família?
  • Minimiza suas conquistas ou não incentiva você a conquistar seus sonhos?
  • Faz com que você se sinta incapaz de tomar decisões?
  • Usa da intimidação, culpa e ameaças para obter sua complacência?
  • Diz o que você deve ou não vestir?
  • Fala como deve deixar ou pentear o cabelo?
  • Diz que você não é nada sem ele ou que ele não é nada sem você?
  • Te trata de maneira grosseira sem o seu consentimento, beliscando, agarrando, empurrando ou até agredindo?
  • Faz várias ligações por noite ou aparece para garantir que você está onde disse que estaria?
  • Usa as drogas e álcool como desculpa para dizer coisas indelicadas ou para abusar de você?
  • Te culpa pela maneira com que age ou se sente?
  • Faz pressão para fazer sexo, mesmo que você ainda não se sinta preparado?
  • Dá a sensação de que “não há como sair” do relacionamento?
  • Evita que você faça outras coisas que gosta, como ficar perto da família e de amigos?
  • Não deixa que saiam de um lugar após uma briga ou abandona você em algum lugar após um desentendimento, só para “ensinar uma lição”?
Fique atento a histórias ou rumores sobre o parceiro. Já ouviu várias versões da mesma história? Os amigos contam coisas sobre ele que você nunca tomou conhecimento ou que o parceiro sempre rejeitou? As “meias-verdades” e memórias seletivas geralmente significam que a pessoa está “modelando” a verdade para você, o que é um indicativo grave de manipulação; descubra o que é realmente mentira e o que é verdade.
  • Ao controlar e manipular, o parceiro não mentirá, mas sim falará apenas “meias-verdades” e omitirá fatos. Ao analisar bem, será possível perceber que há coisas estranhas para levar você a pensar melhor, mas não o suficiente para reanalisar todo o relacionamento.
  • Caso isso aconteça mais do que uma vez, pare e lembre-se de que não é a primeira vez que você teve essa reação. Comece a analisar as discrepâncias entre o que essa pessoa diz e compare com as declarações dos amigos dela. Ao encontrar muitas diferenças, fale com o parceiro sobre o assunto; se a reação ou as respostas dele não forem satisfatórias, é hora de reavaliar o relacionamento de forma séria.
Mantenha os amigos por perto, principalmente se o parceiro estiver tentando fazer com que você se distancie deles. O isolamento é uma tática para dominar você, e o parceiro abusivo buscará até uma maneira de fazer com que pareça que a decisão de ficar longe deles é sua. Verifique se o parceiro está sempre falando pelas costas dos amigos, fazendo piadas sobre sua família ou discutindo com você em noites em que você for sair com amigos. Se for o caso, o relacionamento é nocivo e deve ser evitado a qualquer custo.
  • Pessoas controladoras adoram causar tensão e drama e vão “agitar” a situação de várias formas. Provocações, agir de forma passivo-agressiva e iniciar conflitos são algumas delas; depois, como se fossem crianças inocentes que nada fizeram, vão levantar as mãos e apontar o dedo na direção de seus amigos e parentes.
  • É muito mais fácil para que a pessoa manipule quando você determinar que há muita tensão entre o parceiro e os entes queridos, fazendo com que em breve você não tenha ninguém para pedir ajuda, a não ser ele.

Dispense comportamentos excessivos de possessividade e ciúme. É legal quando o parceiro te protege, mas exageros são sempre assustadores e incômodos. Ele fica “interrogando” e perguntando onde você estava ao se atrasar cinco minutos por chegar em casa ou ao sair sem comunicar a ele? O manipulador pergunta com muita agressividade sobre o porquê de conversar com um certo indivíduo? Ou diz que você não se importa com ele só porque saiu uma vez com os amigos?
  • Um pouco de ciúme é normal, até “bonitinho”. Mas isso não deve afetar os relacionamentos diários, pois é indício de que o parceiro não acredita em você. Não vale a pena nutrir afeto por um parceiro que não confia em você.

Ao se ver em situações em que você não leva vantagem, distancie-se. Por exemplo: o seu parceiro pode atrasar duas horas, mas você é “atacado” ao atrasar cinco minutinhos? Ou se o manipulador flertar com outro é “só uma brincadeira”, mas ao cumprimentar alguém, você é acusado de ser infiel? O manipulador reclama se você poupa dinheiro, mas também se o gasta? Ou seja, a culpa é sempre sua, o que é algo imperdoável e que não pode acontecer. São formas que esse indivíduo usa para mexer com sua cabeça, muito comuns em relacionamentos manipulativos. Como ele sempre tem razão e você está sempre errado, saia o quanto antes de perto dele!

Ignore as tentativas falsas do manipulador em ser “legal”. Isso acontece depois que a pessoa faz algo imperdoável e depois quer o seu perdão. Fique atento e verifique se o comportamento inadequado dele volta a acontecer assim que ele acredita que já o “fisgou” novamente e conta com sua “complacência”.
  • Nesse momento, o controlador pode até começar a chorar, dizendo que deseja sua ajuda para mudar, principalmente quando você disser que não vai tolerar mais tais comportamentos. Muito provavelmente, o parceiro dará presentes e coisas caras para tentar impressionar e ganhar uma segunda chance. Caso ele traia sua confiança novamente, corte relações e distancie-se.
Seja honesto com você mesmo, ainda que seja doloroso. Não vai ser algo legal; afinal, relacionamentos manipulativos nunca são. Mas é necessário fazer uma “reciclagem” para saber quais são as preocupações e os sentimentos que nunca entenderá. Esse relacionamento é saudável ou não? Tente ser o mais objetivo possível, analisando como as coisas mudaram desde que conheceu a pessoa.
  • Seja honesto: o sexo interfere em seu julgamento? Independentemente de o parceiro ser ótimo de cama ou não, essa nunca deve ser a única razão para relacionar-se com ele.

Pense em como ele faz você se sentir. A pessoa que mais deve ser valorizada em sua vida é você mesmo, não é? Não ache que seus sentimentos são exagerados, sem importância ou tendenciosos; ao não ficar à vontade no relacionamento, quer dizer que o outro indivíduo não está tratando você bem. Distancie-se dele e ponto final. Isso é ainda mais válido se ao identificar as seguintes situações:
  • Sentir-se assustado pela forma como parceiro vai agir ou reagir.
  • Sentir-se responsável pelos sentimentos do parceiro.
  • Arrumar desculpas para justificar o comportamento do manipulador a outras pessoas.
  • Acreditar que tudo é sua culpa.
  • Evitar qualquer coisa que possa causar conflito ou irritar o parceiro.
  • Sentir que o parceiro nunca está feliz com você.
  • Fazer sempre o que ele quer e nunca o que você deseja.
  • Ficar com o parceiro pois tem medo do que ele pode fazer ao terminarem o relacionamento.
Analise o resto dos seus relacionamentos. A relação que possui com parentes e amigos estão cada vez mais tensas sempre que o nome do manipulador é trazido à tona, ou quando você fala sobre amigos e família com o parceiro? Se todos que se importam com você demonstram preocupação quando o nome do sujeito é falado, algo está errado.
  • O parceiro faz com que você mostre suas características boas ou ruins? É necessário amar a si mesmo sempre, pois você é uma pessoa incrível. Caso não se sinta assim, muito provavelmente a energia negativa dele está manipulando-o a chegar ao mesmo nível baixo desse indivíduo.
  • Esteja atento à maneira com que ele se comporta perto de sua família e amigos, em especial se ele falar mal deles e discutir com eles a todo momento.
  • Decidir que é “mais fácil” ignorar os amigos e família é determinar que esse monstro conseguiu manipulá-lo e vencer. É fundamental de acabar com esse relacionamento tóxico.
  1. Ignore suas próprias desculpas, pois está sendo tendencioso devido ao amor.Apaixonar-se intensamente não é algo necessariamente ruim, mas não é saudável ter olhos apenas para essa pessoa por muito tempo, pois você poderá “fingir-se de cego” aos sinais de que algo está errado, mesmo quando amigos e familiares avisarem a mesma coisa. É importante ter momentos para refletir e saber o que é certo e o que é errado. Distancie-se do relacionamento durante alguns – da maneira que puder – e pergunte a si mesmo:
    • Está sempre se desculpando ou defendendo o comportamento do parceiro em relação a você? Em relacionamentos saudáveis, isso não deve ser algo normal, pois a outra pessoa deve ser boa o suficiente para mostrar que é óbvio o porquê de estarem juntos.
    • Você esconde coisas das pessoas? É necessário ter privacidade, claro, mas não “esconda o monstro” embaixo da cama. O problema não é ocultar fatos, mas sim que você está saindo com alguém que não é boa pessoa, exigindo que mantenha certos segredos.
    • Você faz sempre o que o parceiro quer? Com certeza você não está em um relacionamento sério para sofrer com outro “chefe” mandando também em sua vida, não é? Todos têm direito a dar uma opinião e que elas sejam respeitadas. Esqueça pessoas que não o levam em consideração.
    • Perdeu o contato com amigos e parentes? Independentemente da paixão que tiver pela pessoa, nunca perca o contato com grandes amigos e familiares por causa do namorado. Se for manipulador, ele tentará isolar você devido à facilidade de controlar suas ações, em especial se for do tipo que sempre falar mal de seus amigos e parentes.
    Pare de odiar a si mesmo por amá-lo e termine o relacionamento o mais rápido possível. Reconheça que a pessoa é incrível – superficialmente – e que você não deve se punir por sentir atração por ela. É normal que os manipuladores tenham características de inteligência e charme, e é exatamente por isso que conseguem controlar outras pessoas. O melhor a se fazer é cortar as relações com esses indivíduos, pois são rasos e não merecem seu tempo. Além disso, a culpa disso é do manipulador, não do manipulado; isso só está ocorrendo é porque você é melhor que ele, o que é mais uma razão para deixá-lo a ver navios.
    • É necessário entender que o manipulador usa seu amor por ele contra você, prendendo-o no relacionamento. Não é culpa sua por amá-lo; ele que deve ser responsabilizado por usar o seu amor como vantagem para ter controle.
    DICAS>
    • Não seja ruim com o parceiro. Não é necessário ser igual a ele para fugir do relacionamento; apenas diga que não há compatibilidade e você não deseja continuar o namoro ou casamento. Ponto final. É desnecessário ficar explicando todos os “sinais de aviso” desse artigo, pois esse tipo de pessoa nunca vai reconhecer que está errada. É como ensinar um porco a cantar – você perderá seu tempo e o porco vai ficar mais nervoso ainda.
    • Se o manipulador já o ameaçou, leve isso a sério e tenha um plano de segurança. Nunca subestime o quão longe certas pessoas podem chegar para manter alguém sob seu poder. Não hesite em ligar para a polícia caso julgue necessário.
    • Confesse os erros aos amigos e famílias. Peça desculpas para para eles – nunca para o manipulador – por marginalizá-los e não considerar a opinião ruim que tinham sobre essa pessoa. Diga também que deveria ter dado ouvido a eles ao mesmo tempo em que externa toda a mágoa e raiva que sentiu, pois seus amigos e parentes ficarão felizes em compartilhar esse momento. Fale que cortou a relação com a pessoa e que o relacionamento acabou, para a felicidade de todos.
    • Não despreze as opiniões de amigos e parentes, pois eles apenas querem o seu bem. Uma pessoa pode ser ignorada, mas não todas; elas estão dizendo que seu comportamento está estranho ultimamente, ou que parece estar diferente, mas não de maneira positiva? Alguém que você ama já mostrou descontentamento com seu parceiro?
    • O estabelecimento de controle é sutil e geralmente ocorre com o passar do tempo. Todo o propósito do artigo é ajudar a examinar seu relacionamento e procurar sinais que indiquem que isso está acontecendo, já que eles podem ser sutis. Um sinal por si só pode não ser problema, mas vários deles já é motivo para conversar sobre o assunto com parentes e amigos. Caso eles afirmem que já perceberam esses indícios, pode ser hora de reavaliar a relação – se possível, fora do controle do parceiro.
    • Quando tais manipuladores parecem dizer uma coisa, mas fazem outra, abra os olhos e não ouça o que dizem. Decida-se com base no comportamento e a conduta dele em vez de ouvir o que ele fala. Muitas vezes, as desculpas não são sinceras – o que os controladores querem de fato dizer é “Desculpe por não gostar, mas eu farei isso de novo".

Postagens relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Siga meu Facebook